Um Mix

Posts Tagged ‘Notícia

Após quatorze horas de debate, o Senado argentino aprovou na madrugada de hoje o casamento gay. A Argentina converteu-se assim no primeiro pais da América Latina e do Caribe e o décimo, no mundo, que legaliza o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo.

Desafiando uma onda de frio polar, uma multidão de manifestantes esperou em frente ao Congresso até as 4h06m da madrugada, quando o controvertido projeto-de-lei foi finalmente aprovado por 33 votos a favor e 27 contra. Houve três abstenções.

Alex Freyre, de 39 anos, e Jose Maria Di Bello, de 41, o primeiro casal homossexual a casar-se em Buenos Aires.

Também na véspera da votação no Senado, mil pessoas se reuniram em outro ponto conhecido da cidade, em frente ao Obelisco, com vuvuzelas e panelaços, em apoio ao projeto.

Dias antes, simpatizantes já tinham realizado manifestação a favor do casamento em frente ao Congresso. Eles levavam cartazes que diziam: “O mesmo amor, os mesmos direitos”.

A postura da Igreja Católica levou a presidente a declarar que “o discurso da igreja recorda os tempos da inquisição”.

O líder do governo no Senado, senador Miguel Pichetto, disse, durante os debates no Senado: “Aqui não haverá mais casamentos do mesmo sexo só porque aprovamos esta lei. O objetivo desta norma é eliminar a discriminação”.

A senadora Maria Eugenia Estenssoro, da opositora Coalición Cívica, argumentou que o projeto é “necessário” para os casais do mesmo sexo. “Esta lei permitirá que os homossexuais possam assumir publicamente suas relações”, disse ela.

Outro líder opositor, o ex-presidente e senador Adolfo Rodríguez Saá, de uma ala dissidente do peronismo, afirmou ser contra o casamento gay e a favor da união civil entre as pessoas do mesmo sexo.

“Aqui é tudo ou nada. Com a união civil poderíamos resolver esta questão e encontrar um caminho de unidade para a sociedade argentina. Mas existem setores fundamentalistas que querem irritar e dividir a sociedade argentina”, afirmou.

O senador socialista Rubén Giustiniani, que votou a favor da lei, disse que o perfil da sociedade argentina mudou e por isso era o momento da aprovação do texto.

Segundo ele, dados oficiais indicam que 59% das famílias argentinas já não atendem ao perfil tradicional de pai, mãe e filhos. Mas de mães solteiras, casais separados e casais homossexuais.

Para o senador opositor Gerardo Morales, da UCR, apesar das polêmicas e disputas, “ganhou o debate cultural” no país, diante da participação da sociedade na discussão.

Fontes: O Globo; BBC.

Anúncios

A pré-candidata do PV à presidência, Marina Silva, disse nesta quinta-feira (15) que não vai posar para fotos com a bandeira símbolo do movimento gay. Marina foi acusada pelo vereador Sander Simaglio, do PV de Alfenas (MG), de esconder uma bandeira do movimento gay entregue por ele a ela. À Folha Online, Marina disse que tudo não passou de um ‘mal-entendido’.

‘Não vou levantar a bandeira (arco-íris), assim como não faço como os demais movimentos. Não costumo fazer esse tipo de coisa.’, disse a pré-candidata ao comentar o assunto. Marina citou como exemplo o Movimento dos Sem-Terra (MST), dizendo ser aliada mas não levantar, literalmente, a bandeira.

A senadora, evangélica, disse que é contra o casamento gay religioso. ‘Existem políticas públicas e nenhuma pessoa pode ser discriminada. Quando se trata de sacramento reivindico minhas questões de consciência como no caso do aborto’.

Em email, Sander Simaglio diz que Marina não quis estender a bandeira em ato em Belo Horizonte na sexta-feira.  ‘A senhora, para minha surpresa, dá um jeitinho de me abraçar com uma mão e com a outra, por baixo, esconder mais que depressa o símbolo da luta do movimento homossexual brasileiro’, diz texto.

Depois de Ricky Martin ter assumido a sua homossexualidade – pára tudo! Ele precisou assumir? –, a comunidade gay de Porto Rico, país natal do cantor, espera que o artista seja líder da causa na ilha caribenha. “Há quem pretende que ele se torne um ativista”, afirmou o editor do site Orgullo Boricua.

Contudo, há também quem pense que ainda é muito cedo para que o cantor porto-riquenho, “acabado de sair do armário”, se junte a qualquer tipo de iniciativa. O responsável pelo portal, que reúne a comunidade homossexual numa ilha onde não há qualquer tipo de associação para o efeito, lembrou que a classe política é bastante conservadora, destoando do sentimento do próprio povo.

Em Porto Rico – E no resto do mundo, diga-se de passagem –, a orientação sexual de Ricky Martin não era segredo desde há muitos anos, mas “trata-se de um processo que pode levar anos” – Hãm? –, explicou. Já Julio Serrano, ativista de defesa dos direitos humanos e da causa gay na ilha, mostrou o seu orgulho pelo artista ter assumido a sua homossexualidade. “É um dia glorioso para as comunidades lésbica, gay, bissexual e transsexual de Porto Rico”, declarou.

“Sinto-me orgulhoso por Ricky Martin ter anunciado que é um dos nossos”, uma vez que, pelo fato de ser uma pessoa tão querida e reconhecida, “dá esperança a milhares de jovens que estão lutando para aceitar a sua orientação sexual ou a sua identidade de gênero”, explicou o responsável.

O Comitê Contra a Homofobia e Discriminação, pelo seu lado, reconheceu a coragem de Ricky Martin por dar um passo tão importante como aceitar publicamente a sua orientação sexual, pedindo aos artistas porto-riquenhos para que se solidarizem com o colega e tomem como exemplo a sua atitude. Entretanto, o cantor René Pérez Joglar, da dupla Calle 13, já afirmou que Ricky é muito mais homem do que muitos que dizem sê-lo.

O Ministério Público Federal pediu à Justiça Federal que determine que a Rede Globo esclareça as formas de contágio do vírus HIV. O pedido foi apresentado na última terça-feira, 23 de março, em São Paulo, pelo procurador regional dos Direitos do Cidadão Jefferson Dias.
O pedido é consequência de uma declaração, considerada homofóbica, feita pelo lutador Marcelo Dourado na décima edição do reality show Big Brother Brasil. Em programa que foi ao ar no dia 9 de fevereiro, Dourado disse que “homem hétero não pega aids”. E afirmou ainda que se um homem contrair o vírus é porque em algum momento ele teve uma relação homossexual. 


Após a repercussão das declarações, o apresentador do programa Pedro Bial afirmou ao vivo que “as opiniões e batatadas emitidas pelos participantes deste programa são de responsabilidade exclusiva dos participantes deste programa. Para ter acesso a informações corretas sobre como é transmitido o vírus HIV, acesse o site do Ministério da Saúde”.
Tanto o procurador Dias quanto o infectologista Ronaldo Hallal, coordenador das diretrizes de tratamento de aids no Ministério da Saúde, afirmam, entretanto, que a emissora é sim responsável por ter dado voz ao participante.
O pedido tem caráter liminar, e não há data para que seja cumprido pela Rede Globo. Para que tenha eficácia, porém, é necessário que isso ocorra até o próximo dia 30, data em que termina o reality show.
A Procuradoria da República de São Paulo já tem inquérito aberto para apurar a responsabilidade da Rede Globo sobre a declaração de Marcelo Dourado.

Só com conhecimento é que podemos nos libertar! A Justiça brasileira foi digna ao fazer este pedido à Rede Globo. Assinamos em baixo!

Nas imagens de “Telephone”, Lady GaGa e Beyoncè encarnam criminosas que, depois de envenenarem sanduíches, matam todos os clientes de uma lanchonete. O clipe de quase dez minutos, dirigido por Jonas Akerlund, começa numa penitenciária, para onde Lady Gaga é levada. Logo na primeira sequência, a cantora é jogada numa cela e deixada seminua. Depois, beija uma mulher e aparece um óculos feitos de cigarros. Há também uma cena de briga de mulheres. Beyoncé só aparece na segunda parte do clipe. Ela aparece para buscar Gaga na prisão e é carinhosamente chamada pela loura de “Honey bee” (algo como “abelha de mel”). Tyrese Gibson também faz uma participação especial no vídeo. Segundo o site NME, em apenas 12 horas na internet, o clipe foi visto por mais de 500 mil pessoas.

Já estamos acostumados com as declarações polêmicas de Elton John. Desta vez ele misturou assuntos dos mais delicados: religião e homossexualidade.
Em entrevista à revista “Parade”, o cantor deu a sua opinião sobre ninguém menos que Jesus Cristo. “Acho que Jesus era compassivo, um homem gay super inteligente que compreendeu os problemas humanos. Na cruz, perdoou as pessoas que o crucificaram. Jesus queria estar amando e perdoando”, disse ele.
E ele falou ainda mais sobre o tema. “Não sei o que torna as pessoas tão cruéis. Tentar ser uma mulher gay no Oriente Médio, por exemplo, é tão bom quanto morrer”, declarou.

E a comunidade cristã ficou “passada em Cristo”.

O general Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, indicado para ocupar uma vaga de ministro do Superior Tribunal Militar (STM), já chegou causando. Ele disse que soldados não obedecem a comandantes homossexuais e que as atividades desempenhadas pelas Forças Armadas não são adequadas a homossexuais. “Talvez tenha outro ramo de atividade que ele (o militar homossexual) possa desempenhar”, afirmou.

Esse babado todo começou na terça-feira passada, durante uma audiência na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, quando o general, sósia do professor Raymundo (aquele da escolinha), foi surpreendido com a pergunta dos senadores Demóstenes Torres (DEM-GO) e Eduardo Suplicy (PT-SP): “Vossas excelências são favoráveis ao ingresso de homossexuais em qualquer das forças e acham que essa polêmica tem razão de ser?”.

Aguinaldão Silva, nosso amigo, postou no blogão: “O General Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, cuja opinião sobre os homossexuais é que eles não podem entrar no exército porque não estão preparados para comandar, precisa urgentemente ser apresentado a Karl Lagerfeld, pois só aí ele terá conhecido um general de verdade: um homem que comanda com mão de ferro não apenas um batalhão ou um quartel, mas todo o exército da Chanel – um império inteiro”.


Essa polêmica – E por que será que o homossexualismo vive cercado de mitos e polêmicas, hein? – já vem de longa data. Não faz muito tempo que assistimos aquele lindo casal de militares gays, um deles cantava igualzinho à Cássia Eller, no programa da Luciana Giminez contando o drama de ser preso, torturado e etc.

E novas polêmicas surgem e sempre surgirão. Nos EUA existe uma lei que proíbe homossexuais no Exército, porém, já há discussões sobre a anulação dela. Mas  não é só o Karl Lagerfeld que comanda um império. Há uns dois séculos atrás o nosso querido Napoleão Bonaparte colocava ordem na França e, cá entre nós, tinha uma faminha bastante amistosa!


Quer saber?

Pode falar

Pedro leonardo em Papo de 5ª com JP (Freedo…
JESSICA M. em Andróginos X Andrógenos
Rita de Cássia Marti… em Papo de 5ª com JP (Freedo…
djonathan em O V do PV não é de Veado!
djonathan em Gays de Porto Rico querem que…

Pra crescer, basta olhar

  • 26,750 hits